Posts

Veja 4 erros que não devem ser cometidos na prova da OAB

Quando o candidato está se preparando para o exame de ordem, é importante conhecer quais são os erros na prova da OAB mais comuns. Afinal, sabendo quais são eles fica mais fácil se preparar e evitar os problemas.

Como a prova é extensa, com duas fases e diversos assuntos para estudar, o candidato deve se preparar da melhor maneira e ter um bom planejamento para chegar no exame com conhecimento e confiança.

Acompanhe nosso texto e conheça 4 erros que você não pode cometer na prova para garantir a sua aprovação!

1. Atrasar-se para a prova

Um dos erros na prova da OAB mais cometidos é o atraso. Isso pode acontecer por diversos motivos e é preciso se planejar para que nenhum deles ocorra com você.

O ideal é verificar o local da prova com bastante antecedência. Quando você souber onde fará o exame, desloque-se até lá e marque quanto tempo demorou para chegar: considere trânsito, caminhos errados, horários etc.

Além disso, pesquise no Google Maps ou outro aplicativo similar para entender o caminho, o tempo médio com trânsito moderado e qual é a melhor rota para chegar até o local.

Com essa preparação ficará mais fácil se planejar. Lembre-se de sair com bastante antecedência, mesmo sabendo qual é o tempo que você leva até o local. Imprevistos acontecem e estar preparado resulta em mais tranquilidade.

2. Não se organizar nos estudos

Outro problema muito comum ao se preparar para a prova da OAB é não se organizar para os estudos ou deixar conteúdos para trás sem nem uma lida. Esse é um erro que pode ser evitado com um bom planejamento.

Faça um calendário até a data do exame, veja quais dias você não poderá estudar e já deixe marcado. Depois, divida o tempo que sobrou pelas matérias que você deve acompanhar e estabeleça uma meta diária.

Algumas matérias devem receber um pouco mais de atenção, como aquelas que você tem mais dificuldade ou que garantem mais pontos na prova pois o assunto é menor cobrado (como Ética, por exemplo).

Com tudo planejado, você terá o tempo necessário para ver cada assunto e poderá adaptar o calendário para aquelas matérias que ficaram atrasadas ou que você teve mais dificuldade.

3. Não dar atenção ao emocional

Não dar atenção ao aspecto emocional também é um fator que pode causar baixo desempenho durante a prova da OAB. Esse exame é muito importante para a carreira e conseguir a aprovação é o sonho de muitos candidatos: isso pode gerar nervosismo e ansiedade.

É fundamental trabalhar bem a parte emocional durante a preparação para a prova, conseguindo chegar mais tranquilo no exame. Isso pode render pontos a mais e até confirmar a sua aprovação, tornando o sonho de ser advogado mais próximo.

Para isso, reserve um tempo nos estudos para o lazer: estudar bastante é muio importante, mas se você não separar folgas pode ficar sobrecarregado e chegar na prova com a “cabeça cansada”. Isso atrapalha o rendimento, atrai aqueles “brancos” na prova e causa ansiedade.

4. Errar na transferência para o gabarito

Se você não der atenção suficiente ao emocional durante a preparação para a OAB, é muito mais fácil ficar nervoso na prova e cometer erros bobos. Um dos mais comuns é se equivocar ao transferir as respostas para o gabarito.

A primeira fase possui 80 questões separadas em 17 matérias, com 4 alternativas em cada uma. Portanto, você terá bastante tempo de leitura durante a prova, além de ter que ser organizado para marcar a resposta correta de maneira clara.

A dica aqui é não fazer muitos rabiscos nas questões. Durante a preparação, já estabeleça uma marcação para as respostas que você considera erradas (um X, por exemplo), e um símbolo para as certas (como um círculo), isso facilitará a sua resolução e evitará erros.

Sabendo esses 4 erros na prova da OAB, você pode se preparar bem para não cometê-los. Isso ajuda na sua confiança e tranquilidade, evitando o nervosismo durante a prova e outros problemas.

Gostou desse texto? Quer saber como podemos ajudá-lo ainda mais na preparação para a OAB? Então entre em contato conosco e conheça nossos cursos!

 

Aprenda como estudar em casa para OAB e ser aprovado!

Passar no exame de ordem é o sonho de muitos bacharéis em Direito. Para conseguir isso é preciso disposição e disciplina durante a preparação, além de saber como estudar em casa para OAB.

É importante conhecer as formas mais eficientes de estudar para aproveitar ao máximo o período de preparação e não desanimar quando alguma matéria não rende, principalmente porque nessas horas é comum perder o foco.

Neste texto trazemos algumas dicas sobre como estudar em casa sem comprometer o desempenho, facilitando sua aprovação na OAB. Confira e insira novos hábitos na rotina!

Faça provas anteriores

Uma boa técnica de estudos, especialmente para quem está no primeiro exame, é refazer provas anteriores, analisando erros e acertos. Coloque na cabeça que se trata de um treino e não de uma medida para prever seu rendimento.

Muita gente se desanima com o desempenho, acrescentando nervosismo e ansiedade à preparação. É preciso levar isso como aprendizado, anotar os erros e pesquisar sobre assuntos específicos, estudando os problemas.

Resolver testes de anos anteriores também vale a pena para conhecer o estilo de prova e estimar quanto tempo você tem para finalizá-la. A única coisa que não pode acontecer é chegar no dia do exame oficial completamente perdido em relação ao horário.

Escreva resumos

Resumos figuram como ótima técnica para quem está se preparando em casa. Ao assistir a vídeo-aulas ou ler legislações e compilados, lembre-se de escrever tudo da sua maneira em um caderno específico.

Anotar o conteúdo ajuda a memorizar questões e a aprender melhor determinadas regras, afinal você está “explicando para si mesmo”. Além disso, reserve um tempinho para reler o material na íntegra.

De quebra, isso auxilia na criação do hábito da escrita e da citação de artigos, práticas recorrentes no exercício da advocacia e que você deve dominar para atuar bem. Os resumos ainda servem para produzir uma “biblioteca” própria, ou seja, quando você precisar pesquisar determinado assunto, basta procurar nas anotações.

Tenha foco e disciplina

Estudar em casa garante algumas facilidades, como ter um local mais aconchegante, organizar o próprio horário e ter mais liberdade. Por outro lado, também pode atrapalhar seu foco e disciplina, afinal é muito mais fácil dar aquelas paradinhas para olhar a rede social ou fazer um lanchinho fora de hora.

É fundamental ser disciplinado ao estudar em casa. Portanto, elabore um cronograma com horários e matérias a serem lidas e siga à risca as determinações, sempre lembrando de descansar um pouco. Aja como se estivesse em uma sala de aula, evitando ao máximo qualquer tipo de distração.

Contar com um ambiente próprio, organizado e calmo ajuda muito nessas situações, então tente ficar longe de opções atraentes sob o ponto de vista do entretenimento pessoal. É importante buscar um lugar aconchegante e que propicie foco.

Acompanhe um curso online preparatório

A principal dica de como estudar em casa para OAB é acompanhar um curso online preparatório para a prova. As aulas unem as vantagens dos dois lados: é possível fazer seus próprios horários, conferir as matérias no conforto do lar e ter professores e técnicas de estudo de qualidade comprovada.

Cursos online sérios permitem que você acesse as vídeo-aulas em qualquer horário, pois ficam disponíveis na plataforma do cursinho. Os professores são especializados nas disciplinas e têm experiência no exame de ordem, o que significa que sabem como funciona a prova e como cada assunto costuma ser cobrado.

A CEISC possui cursos específicos para as duas fases do teste e pode otimizar seu caminho até a aprovação. É primordial contar com essas aulas para ter a preparação ideal e manter a atenção diariamente. Sabendo como estudar em casa para OAB, você é capaz de montar uma rotina e focar somente no exame, sem distrações.

Ficou interessado nos nossos cursos para facilitar sua aprovação na OAB? Então entre em contato conosco para saber como podemos ajudá-lo!

4 dicas de como controlar o estresse na pré-prova da OAB

Chegado o momento de prestar a prova da OAB, é muito comum que as pessoas fiquem com um nível de tensão bem elevado, sobretudo à medida em que a data do exame vai se aproximando. Porém, nesse contexto de estresse pré-prova, algumas medidas são muito úteis para manter o controle emocional e garantir melhores resultados.

Para ajudá-lo nessa tarefa, no post de hoje, trouxemos 4 dicas importantes para eliminar essa apreensão de uma vez por todas. Siga a leitura e confira!

Como lidar com o estresse para conseguir fazer a prova de forma tranquila?

1. Pratique exercícios físicos

A prática de atividades físicas é uma estratégia muito bem-vinda em todas as áreas da nossa vida — e, para combater a tensão pré-OAB, não é diferente.

Isso porque, ao exercitarmos o nosso corpo, ele libera importantes hormônios que auxiliam no controle da ansiedade, no aumento da concentração e também na capacidade de memorização.

Portanto, ao contrário do que muitos candidatos podem imaginar, dedicar-se aos exercícios físicos não é uma perda de tempo, mas sim um forte aliado na sua preparação. Dessa forma, procure focar em algo que lhe dê prazer e encaixe esse hábito o quanto antes na sua rotina.

2. Treine exercícios de respiração

Outra ação relativamente simples e que pode trazer resultados bastante positivos para aliviar o estresse são os exercícios respiratórios.

Os benefícios sentidos pela respiração se justificam pelo fato de que o nosso corpo responde de acordo com os diferentes tipos de respiração que temos em cada situação. E, quando a pessoa domina esses padrões, fica mais fácil controlar o seu estado emocional.

Para ajudar a reduzir a ansiedade no período que antecede o Exame da Ordem, por exemplo, o indicado é a prática da respiração longa e lenta. Com ela, nossos batimentos cardíacos diminuem e conseguimos, inclusive, raciocinar com mais clareza.

3. Mantenha a autoconfiança

O poder da mente é capaz de elevar nossas ações, mas também atrapalhar os mais preparados dos candidatos. Em vista disso, manter a autoconfiança é uma forma que você tem de controlar o próprio destino.

Lembre-se sempre de que você é capaz e pode dedicar o máximo de empenho tanto nos momentos de estudo como no dia da prova. Quanto mais focado estiver o candidato, mais capacidade ele terá para evoluir na sua performance.

4. Saia com os amigos

A disciplina na fase de preparação é um elemento fundamental para quem deseja ser bem-sucedido no exame da OAB. No entanto, nem só de estudos é feito o sucesso de um candidato — desfrutar de momentos de lazer vai ajudar bastante no combate ao estresse pré-prova.

Nesse cenário, estar perto de pessoas queridas, sair com os amigos para relaxar e distrair a cabeça pode ajudar na potencialização de um bom desempenho. Afinal, a cabeça fica mais leve para absorver mais conhecimento.

Ademais, na véspera da prova, é recomendado optar por programas descontraídos, que o faça desligar um pouco de toda a tensão e do grande volume de matérias aprendido na fase de estudos. Considere ir ao cinema ou teatro, ler um livro ou fazer alguma outra atividade tranquila e que contribua para o seu equilíbrio psicológico.

Administrar o estresse pré-prova é uma tarefa não muito simples, que requer autoconhecimento e, consequentemente, o uso das estratégias mais eficientes para o perfil do candidato. Se você ainda não está trabalhando a sua estrutura emocional, ao empregar as dicas mencionadas acima, certamente conseguirá obter a segurança necessária para conquistar a sua vitória.

Viu como alguns detalhes do nosso dia a dia ajudam a combater a ansiedade e tensão antes de um exame importante? Então, contribua também para o sucesso dos seus amigos e compartilhe essas dicas nas suas redes sociais!

Edital XXIX: fique por dentro das informações mais importantes

Vai fazer a OAB em 2019? A prova da metade do ano está se aproximando! E o edital do XXIX Exame foi publicado nesta sexta-feira, dia 3 de maio. A nossa equipe fez uma análise completa e compilou neste post as informações mais relevantes e atualizações trazidas pela banca.

Quer ficar por dentro das principais alterações do edital? Leia este post até o final e anote na sua agenda as considerações mais importantes da nossa equipe.

Cronograma das datas importantes:

Inicialmente, todos os candidatos devem se atentar ao cronograma disponibilizado no edital. Nele, a banca traz todos os prazos importantes sobre a sua inscrição, as provas de primeira e segunda fase, recursos e resultados. A não observância e perda de qualquer um desses prazos, pode acarretar na não-realização da prova, por isso, é de extrema importância que o você tenha ciência de todas as datas. Confira o cronograma:

Inscrição no Exame de Ordem:

Sobre a inscrição é importante se atentar sobre: quem poderá se inscrever e fazer a prova, quando deverá ser feita a inscrição e quando deverá ser realizado o pagamento da taxa.

Quem pode se inscrever?

– Bacharéis em Direito (formados na graduação);

– Bacharéis em Direito com a colação pendente;

– Estudantes de Direito que comprovem estar matriculados nos dois semestres (nono e décimo semestre da graduação) ou no último ano do curso de graduação em Direito até primeiro semestre de 2019;

E para quem faz cadeiras de diferentes semestres, como saber se já é possível prestar a avaliação? Responda a seguinte pergunta: falta um ano para você se formar? Se sim, você poderá fazer a prova.

Prazo de inscrição

A partir do dia 03 de maio, às 17h o candidato já poderá realizar a sua inscrição no site da FGV. A inscrição é aceita apenas pelo site e deve ser submetida até o dia 10 de maio, às 17h, pelo horário oficial de Brasília. Não deixe para se inscrever no último dia!

É no processo de inscrição que você deverá preencher os seus dados completos, selecionar a seccional em que realizará a prova e escolher qual a sua área de segunda fase. Está com dúvida de qual segunda fase escolher? Faça o teste vocacional que a equipe CEISC montou para quem ainda está indeciso!

Muita atenção aqui! A seccional escolhida deverá ser a mesma da cidade de conclusão da sua faculdade ou do seu endereço de domicílio eleitoral. Caso você faça a prova em outro local, é necessário requerer essa alteração até o dia 10 de maio, às 17h, justificando a razão. Caso contrário, sua prova será invalidada.   

Valor e prazo do pagamento da inscrição:

Para homologar a inscrição, é necessário efetuar o pagamento do boleto de inscrição, cuja taxa é de R$260,00 (duzentos e sessenta reais). Aqui, não tivemos nenhuma novidade sobre os valores (ainda bem), essa taxa não sofreu aumento desde maio de 2017.

Os dados devem ser preenchidos com atenção, pois não poderão ser alterados depois do pagamento da inscrição. Falando no pagamento do boleto, este poderá ser reimpresso e deverá ser pago até o dia 07 de junho, impreterivelmente.

Fez a inscrição com alguma informação incorreta? Basta fazer nova inscrição e efetuar o pagamento apenas daquela que você deseja validar e homologar.

Isenção do pagamento da inscrição:

Os candidatos que podem solicitar a isenção da taxa da inscrição, devem atender, de forma cumulativa, os seguintes requisitos:

  1. Estar inscrito no CadÚnico;
  2. Ser membro de família baixa renda – nos termos do decreto 6.135, que trata sobre CadÚnico.

A isenção deverá ser solicitada mediante requerimento do examinando, disponível em campo específico no link de inscrição, no mesmo período das inscrições, no endereço eletrônico http://oab.fgv.br.

A FGV irá averiguar tais informações, analisar os pedidos e divulgar os pedidos deferidos até o dia 25 de maio no site da FGV. Os pedidos indeferidos poderão ser reanalisados, mediante requerimento.

Atendimento especial:

Os examinandos com deficiência que necessitarem de prova ou atendimento especial, devem indicar no formulário de solicitação de inscrição, os recursos necessários para cada fase do Exame, até o dia 10 de via SEDEX, para a sede da FGV estipulada no edital do local preterido, informações completas de endereço de envio do formulário constam em edital.

Repescagem:

Para aqueles candidatos que eventualmente reprovarem no XXVIII Exame de Ordem as informações sobre a repescagem estarão dispostas no edital complementar com publicação prevista para o dia 02/07/2019.

Materiais permitidos e proibidos:

Na segunda fase, os candidatos poderão utilizar a legislação com remissões e marcações. Confira a lista de materiais:

Veja o infográfico comparativo das remissões e marcações permitidas na segunda fase do Exame de Ordem clicando aqui.

E a contagem regressiva começou! Faltam menos de 60 dias para a prova! Precisando de uma preparação objetiva e intensiva? Conheça o curso Intensivo de Emergência! Estudo organizado e estratégico para a primeira fase da OAB!

E aí, gostou das informações? Lembre-se de salvar as datas do cronograma para não perder nenhum prazo importante e de ler o edital para sanar eventuais dúvidas!

Aprenda agora como fazer marcações no Vade Mecum corretamente

Quem vai prestar a segunda fase da OAB precisa saber como fazer anotações no Vade Mecum, afinal, esse é um dos materiais que você pode utilizar para consulta e ele deve estar dentro das regras do edital.

Além dele, também é possível levar súmulas, enunciados e orientações jurisprudenciais organizados, leis de introdução, instruções normativas, regimentos internos, resoluções de tribunais, etc., desde que nada disso esteja comentado.

Fazer anotações incorretamente custa caro: o material pode ser recolhido e, em alguns casos, a prova será anulada e o candidato, eliminado do exame. Por isso, neste conteúdo, nós ensinamos como fazer as marcações sem problemas. Confira!

Utilize códigos sem índices estruturados

A palavra-chave sobre como fazer anotações no Vade Mecum para a prova da OAB é cautela. Depois de meses, ou até mesmo anos, de preparação, é fundamental que tudo esteja de acordo com as regras para não ser desqualificado do exame.

A primeira dica é utilizar um código sem índices estruturados para a peça processual, ou seja, sem “esquemas” ou remissões literais sobre a petição que você deve elaborar na segunda fase da OAB.

Verifique bem o seu Vade Mecum para ter certeza de que o índice não está em desacordo com as regras do edital do exame e não anote nada que possa fazer uma remissão direta à peça processual (como escrever “qualificação” ao lado de um artigo).

Tomando esses cuidados você garantirá que o índice do seu código está de acordo com as regras e ficará mais tranquilo no momento da prova, porque não terá medo de haver alguma coisa errada.

Use caneta marca-texto

A segunda dica é usar caneta marca-texto para fazer grifos no Vade Mecum. Muitas pessoas utilizam várias canetas coloridas, lápis de diferentes tonalidades e outras práticas para marcar o código.

Apesar de essas atitudes não serem contra as regras, tendo em vista que não há limite para as cores utilizadas, elas podem gerar desconfiança — e você perderá tempo durante a prova enquanto o fiscal verifica se está tudo correto.

Além disso, quando o código tem marcações demais, ele vira um “carnaval” e pode gerar mais confusão do que ajudar. Assim, o candidato pode se perder na hora, afinal, ele terá que “decifrar” tudo o que grifou em determinado artigo ou lei e saber o que cada cor significa.

Grife de forma simples e faça remissões

Ao utilizar o marca-texto, grife de forma simples. Como dissemos, fazer rabiscos demais e exagerar na hora de realizar uma anotação pode atrapalhar sua consulta.

Apesar de a utilização de códigos anotados não ser permitida, você poderá fazer remissões a outros artigos da lei. Por exemplo: ao lado de um artigo do Código Civil é possível escrever “V. art. 20 CPC”.

Lembre-se que símbolos, como círculos, asteriscos e flechinhas, não são permitidos. Então, tenha muito cuidado na hora de fazer as suas remissões, pois esses “desenhos” são irregulares.

A dica aqui é ser simples e não exagerar. Grife ou sublinhe o que for mais importante de cada artigo e faça uma pequena remissão. Não circule palavras, artigos ou faça asteriscos ao lado de certos termos para não correr nenhum risco.

Utilize clipes ou os separadores permitidos

A última dica é em relação à separação dos códigos e leis dentro do Vade Mecum. Como ele é um grande compilado das legislações mais importantes do Direito, pode ser difícil e demorado achar o necessário durante a prova.

Como tempo é fundamental nesse momento, você pode fazer a separação de cada legislação, desde que utilize materiais permitidos pelo edital. Portanto, é importante se atentar a todas as disposições.

Você poderá utilizar clipes de papel ou separadores de código, fabricados por editoras, em que não houver nenhuma anotação além da remissão das leis (apenas Código Civil, Código Penal, etc.).

Conhecendo e seguindo essas dicas sobre como fazer anotações no Vade Mecum você irá para a prova mais tranquilo e seguro, afinal, não haverá nenhuma irregularidade que possa excluí-lo do exame e frustrar toda a sua preparação.

Gostou das nossas dicas para fazer suas anotações no Vade Mecum? Aproveite e confira o nosso artigo com um planner de estudos para OAB. Assim você organizará a sua rotina na preparação para a prova!

Recursos da 2ª Fase da OAB: tire todas as suas dúvidas

Divulgado o resultado preliminar da 2ª fase do Exame de Ordem, muitos candidatos se depararam com uma correção equivocada da prova. E agora, como proceder? É o momento de interpor um recurso e recuperar aquela pontuação que está faltando para atingir a sonhada aprovação. E como fazer um bom recurso que terá chances de ser aceito pela banca examinadora? No post de hoje vamos lhe ensinar!

Em virtude da prova da 2ª fase do Exame de Ordem ter cunho discursivo, observa-se que, por vezes, os examinadores incorrem em equívocos durante a correção da prova. Tais equívocos podem ser sanados através de recurso para à banca revisora.

Por onde começar?

O candidato que for reprovado na prova prático-profissional deve analisar sua prova com cautela, verificando, criteriosamente, a correção realizada pelo examinador. Desta forma, o candidato entenda que houve equívocos por parte do examinador, com a consequente desconsideração de nota, deve interpor recurso postulando a reforma da correção e, portanto, do resultado.

Além disso, os candidatos devem ficar atentos no que tange ao prazo para a interposição dos recursos. O edital do XXVII Exame de Ordem prevê o prazo de 3 (três) dias para a interposição de recursos, iniciando a contagem do prazo no dia 13 de fevereiro, a partir das 12h, encerrando-se às 12h do dia 16 de fevereiro. (Lembrem-se: horário de Brasília).

O recurso deve ser interposto através do site http://oab.fgv.br, exclusivamente.

Tenho muitos apontamentos, devo fazer mais de um recurso?

Não! Cada candidato poderá interpor APENAS UM recurso POR questão discursiva e sobre a peça profissional com o limite de até 5 mil (cinco mil) caracteres cada um. Logo, para cada questão da prova terá um limite de até 5 mil caracteres, e para a peça também terá um limite de 5 mil caracteres (peça toda).

Assim, o recurso não pode ser extenso demais. Convém salientar que não é necessário termos jurídicos ou pesquisas do assunto, quanto mais claro e objetivo o recurso melhor.

Identificação de recurso:

O candidato não pode inserir seu nome no recurso, assim como quaisquer identificações:

 A informação de qualquer dado pessoal ou qualquer outro dado que leve a possível identificação do candidato levará ao indeferimento sumário.

Esclarecemos novamente que o recurso é realizado exclusivamente pelo site da FGV disponibilizado acima. Ou seja, não será aceito recurso enviado por fax, correio eletrônico ou pelos Correios, também não será aceito recurso fora do prazo.

Por fim, frisamos que a decisão dos recursos e o consequente resultado definitivo do XXVII Exame de Ordem serão divulgados na data de 26 de fevereiro.

Recurso de erros materiais, como fazer? Veja o modelo!

Para aqueles que identificaram apenas erros materiais em suas correções, seguem alguns exemplos de recursos:

– Peça: O candidato, no item 04 da peça, nas linhas 82 e 83 da folha 03, abordou corretamente a tese de atipicidade conforme com o gabarito e o espelho, “trata-se no caso em tela de atipicidade do fato” no entanto, a nota não foi atribuída. Logo, faz jus a 0,55 pontos.

Outrossim, ainda no item 04, nas linhas 78 e 79 da folha 03, o candidato refere “o mesmo não teve dolo de subtrair o bem” cumprindo expressamente o requisito para pontuar, entretanto não pontuando. Frente a isto faz jus a 1,00 ponto.

– Questão: Na questão número 02, item A, folha 07, linhas 01/08, o candidato abordou expressamente que “a prisão de Jorge é irregular, pois Jorge não descumpriu nenhuma medida cautelar” e ainda que “o magistrado deveria apenas ter aplicado uma medida cautelar e não a prisão”, sem ter a nota atribuída para tanto. Requer por isso mais 0,60 pontos.

Precisa de uma ajuda?

O CEISC vai corrigir recursos de alunos!  O CEISC, mais que ninguém, sabe bem como é angustiante redigir um recurso. E é muito bom poder contar com alguém para auxiliar neste momento. Foi pensando nisso, que a Equipe do CEISC vai auxiliá-lo com a correção do seu recurso, na busca da sua tão sonhada aprovação!

Para saber mais acesse este link: correção de recursos: Examinandos do XXVII receberão auxílio em seus recursos.

Esperamos ter ajudado, estamos torcendo pela aprovação de vocês!

Boa sorte e até a próxima!

Títulos de Crédito na OAB: preciso me preocupar?

O que tratar acerca de títulos de crédito versus concursos e exame de ordem?!

Grande parte dos examinandos consideram este conteúdo um dos piores do Direito Empresarial [quando não culpam o próprio Direito Empresarial pela complexidade dos institutos cambiários].

Pois bem! E agora?

Primeiro passo – compreender que temos títulos de crédito variados, mas seguindo uma classificação doutrinária, quatro deles são considerados títulos de crédito próprios: letra de câmbio, duplicata, nota promissória e cheque [aqueles que estão no art. 784, inc. I, do CPC].

A letra de câmbio, a duplicata e o cheque, são títulos com ordem de pagamento, sendo que figuram três pessoas na relação jurídica [sacador, sacado e beneficiário]. Diferente deles, está a nota promissória, em que apenas temos duas pessoas, eis que é promessa de pagamento.

Segundo momento, quando fores responder uma questão do tema de cambiário, perceber se a pergunta trata dos institutos cambiários [endosso, aval, aceite] ou se de matéria específica dos títulos. Afinal, cada título mencionado tem tutela própria [LUG, Lei do Cheque e Lei das Duplicatas] e por mais que conheça, deve ter humildade suficiente para reconhecer que cada um deles tem ‘mas’ [mãããs, como eu falo] ou ‘porém’ que tiram o sono de muita ‘gente grande’ que estuda.

Por endosso, temos o ato de garantir e transferir um título de crédito [guardem isso, É MEIO DE TRANSFERÊNCIA E GARANTIA – coloca isso num post it]. O aval é similar à fiança, mas uma garantia específica de títulos de crédito. E o aceite somente vai existir naqueles títulos de crédito que dependemos de um aceite do sacado para pagamento [letra de câmbio e duplicata].

Passado esse momento, vamos ao primeiro ‘mas’ de cambiário, o endosso deve ser feito no verso do título, ‘mãããs’ pode ser dado no anverso, desde que indique que se trata de endosso. Existe um ponto do endosso que não comporta exceções: O ENDOSSO NÃO PODE SER PARCIAL e NÃO HÁ LIMITES PARA ENDOSSOS.

Acho que pra começarmos o assunto, é o suficiente… Seguimos, porque recém começamos!

Mais dicas para tornar empresarial mais leve?

Segue lá no insta e esteja conosco no face!

prof grace kellen

Cronograma de estudos OAB: 5 dicas de como montar o seu

Após cinco anos de faculdade, é chegado o momento de encarar o temido e aguardado exame da Ordem. No entanto, por mais complexa que a prova possa ser, ela não é um bicho de sete cabeças se você se preparar corretamente.

Portanto, um dos primeiros passos para a aprovação é saber montar um bom cronograma de estudos para OAB. Neste post, vamos dar cinco dicas de como fazer o seu e arrasar no dia da prova. Confira!

1. Leia o edital

Essa dica é essencial e é a primeira coisa que deve ser feita durante a sua preparação. É no edital que você encontrará todas as regras, informações importantes e matérias que serão exigidas no dia da prova.

Portanto, para evitar estudar itens que não estão relacionados ou deixar de revisar outros pontos importantes, leia o edital atentamente e separe as informações mais relevantes para a prova.

2. Identifique suas necessidades

Depois de ter lido atentamente o edital, identifique quais são as suas necessidades. Isso inclui diagnosticar as matérias que tem o maior peso no exame e quais você considera mais difíceis.

Trace o seu cronograma de estudos para OAB baseado nessas informações. Ou seja, se você arrasa no Direito Civil, mas não é muito bom em Direito do Trabalho, dê mais atenção para esse último e aproveite para revisar as matérias que você já domina.

3. Ajuste a sua rotina

Para que o seu cronograma de estudos para OAB seja eficaz, é preciso montá-lo baseado na sua realidade. Se você trabalha e estuda, não adianta prometer estudar 10 horas por dia, uma vez que não conseguirá cumprir suas metas e poderá ficar frustrada antes do tempo.

Portanto, analise sua rotina, coloque todos os seus compromissos em um papel e elenque aqueles que são prioridades, como entregar o seu trabalho de conclusão de curso — caso ainda não tenha se formado — e aqueles que podem esperar mais um pouco, como é o caso daquela viagem para a praia.

Essa é a melhor forma de montar o seu cronograma, adaptado a sua realidade de modo que possa cumprir todo o seu planejamento.

4.Trace metas

Tão importante quanto montar um cronograma de estudos para OAB é segui-lo. Para isso, é fundamental que você desenvolva mecanismos que influenciem na sua motivação.

Uma dica é traçar metas de estudo e pessoais. Separe as matérias que você precisa estudar e estipule algumas recompensas toda vez que conseguir ficar dentro do seu calendário, por exemplo. 

Assim, você pensará duas vezes antes de “matar” tempo de estudo para ceder a preguiça ou aquele cineminha com os amigos.

5. Descanse

Descansar também é importante quando estamos falando de se preparar para uma prova importante como é o exame da OAB. Portanto, o tempo de descanso não deve ser desprezado no seu cronograma de estudos.

Caso você estude e trabalhe, por exemplo, separe o domingo para relaxar, passear, encontrar as pessoas que gosta ou, até mesmo, dormir até mais tarde. Não tente levar o seu corpo a extremos, pois essa é uma prática pouco eficaz e que, inclusive, pode desencadear doenças como depressão, ansiedade ou gastrite.

Por mais que a preparação possa ser longa e cansativa, lembre-se que a recompensa virá depois e você, com certeza, vai respirar aliviada com a carteirinha na mão. Portanto, seguir o cronograma de estudos para OAB é extremamente importante.

E se você gostou do nosso texto, aproveite para compartilhar essas dicas nas suas redes sociais.