Desde ontem várias pessoas já vinham alertando sobre algo estranho na 2ª Fase de Trabalho. Aparentemente, todos que erraram o estado colocando, João Pessoa – PA, João Pessoa – PR, João Pessoa – PE tiveram as peças ZERADAS por IDENTIFICAÇÃO.

Segundo o entendimento da FGV/OAB, o aluno ao errar o estado estaria tentando de alguma forma se identificar. O que é claramente absurdo!

Novamente, a FGV/OAB falha e prejudica milhares com a total ausência de bom senso.

Além disso, muitos alunos nos procuraram em busca de recursos referentes a questão 4.

Pensando nisso, os Profs. Cleize e Luiz Henrique elaboraram recursos para vocês:

Não há nada que nos deixe mais feliz e realizados do que ver as postagem com a notícia de aprovação.
Porém, muitas vezes nos deparamos com total falta de bom sendo e de proporcionalidade na correção. Por isso, segue uma minuta de recurso para quem teve a peça zerada por identificação, em razão do endereçamento errado.

“O examinando teve sua peça zerada, por identificação. Contudo uma análise atenta da prova prática-profissional, constata-se que em nenhum momento houve qualquer forma de identificação: assinatura, símbolos, ou outra marca identificadora. Ademais, a letra é legível, com redação clara e objetiva.
Frisa-se que o exame deve seguir as regras estabelecidas no edital, especialmente nos itens 3.5.8 e 3.5.9.
Quanto ao endereçamento, feito na linha 1 e 2 da página 1, e considerando ser este o motivo para ter sido considerada identificada a peça, é importante esclarecer que:
a) Não consta no edital qualquer exigência de conhecimento geográfico do examinando;
b) O endereçamento errado tem sanção prevista no padrão de resposta definitivo, no item de distribuição de pontos, em que se constata que haveria pontuação prevista de 0,10 pontos.
c) Entender que um endereçamento equivocado é identificação de prova é totalmente desarrazoado, já que trata-se de erro corriqueiro;
d) Por fim, o simples fato de ter feito um endereçamento equivocado não possibilitaria qualquer identificação da prova pelo corretor. Se assim fosse, toda sorte de equívoco no desenvolvimento da peça ou da respostas das questões poderia ensejar a mesma identificação, e isso faria com que todas as provas fossem passíveis de identificação.
Diante do exposto, requer o provimento do presente recurso, para que seja devidamente corrigida a prova do examinando.”

Claro que é só uma ideia, e que caso a caso vocês devem fazer as devidas adaptações.
Espero, de coração, que surta o efeito esperado.

QUESTÃO: Na questão 4, letra “a” existem dois motivos que inviabilizam o recebimento dos embargos à execução, a não garantia do juízo bem como a intempestividade de sua interposição, conforme disposição do art. 884 da CLT. Inadmissível que a FGV cobre além do conhecimento jurídico do candidato que ele adivinhe qual das duas teses corretas a banca gostaria que fosse respondido. Assim tendo em vista que o candidato alegou corretamente que os embargos não poderiam ser aceitos em razão da intempestividade nas linhas 1 a 4 da folha 9, conforme segue a transcrição: “…….”, faz portanto jus a pontuação integral da questão (0,55) e a pontuação da indicação do artigo correto (0,10);

Nós sabemos o quanto é angustiante redigir um recurso. Sabemos que é bom poder contar com alguém para auxiliar neste momento. Foi pensando nisso, que a Equipe do CEISC vai auxiliá-lo com a correção do seu recurso, na busca da sua tão sonhada aprovação!!!

ATENÇÃO: Apenas alunos CEISC terão seus recursos corrigidos.

Para saber mais acesse este link: Correção de recursos: Alunos matriculados nos cursos OAB 2ª Fase receberão auxílio em seus recursos

Esperamos ter ajudado.

Boa sorte!

Comments

comments

Responsável pela coordenação dos projetos, cursos preparatórios e eventos relacionados aos cursos de 1ª Fase da OAB do CEISC. Editora e criadora de conteúdo web e inbound marketing.