O edital do XXVI Exame de Ordem já foi publicado! Já leu a análise completa do edital? Clique aqui e veja agora mesmo! 

No momento de inscrição da prova, o candidato já deve proceder a uma escolha tida como difícil por muitos: qual disciplina eu escolho na segunda fase?

Para ajudar vocês nesse momento, separamos 5 dicas que podem facilitar a escolha da melhor disciplina.  Vamos a elas:

Nenhuma disciplina é fácil

Muitos mitos nascem a cada prova, principalmente quanto ao nível de dificuldade de cada disciplina. É essencial que cada aluno compreenda que não existe 2ª fase fácil, as provas têm um nível de exigência alto. Com alegria podemos dizer que de maneira geral os exames tem sido bem elaborados, com enunciados claros e de fácil compreensão. Diante disso, vale dizer que você não deve pautar sua escolha no nível de facilidade das provas, mas sim no seu nível de compreensão e afinidade com a matéria.

A decisão é apenas sua

No final das contas a decisão é apenas sua. E será você quem ficará por horas a fio estudando a mesma matéria, não se influencie pelo seu amigo  que fez Constitucional e passou de primeira se você sempre detestou a matéria. Ou seu colega que fez trabalho, penal ou civil, por exemplo, e considerou a prova fácil. O Exame de Ordem é um momento seu, um momento de concentração e dedicação pessoal e a opção pela disciplina assim também deve ser.

Seja analítico

Para realizar uma boa escolha se autoconhecer é essencial. Por muitas vezes, a própria trajetória acadêmica já nos mostra qual área escolher, muitos alunos possuem disciplinas com as quais se familiarizam nos estágios e criaram afinidade durante a graduação. Analisar em quais áreas a sua formação foi mais sólida e apurada pode ajudar na escolha correta.

Você tem um intenso período de estudo pela frente

Ponto que também deve ser analisado na escolha da disciplina para a segunda fase é o tempo que você consegue se debruçar sobre determinada matéria. O processo de preparação para o Exame de Ordem abarca um tempo longo dedicado a mesma disciplina, sendo assim gostar de estudar determinada matéria é muito importante. Afinal, a rotina de estudo por si só já é exaustiva e extenuante adicionar uma má escolha de disciplina nesta equação faria de sua preparação um verdadeiro martírio.

Um bom preparatório

Para quem ainda está com muitas dúvidas, uma boa dica é assistir a algumas aulas da matéria que lhe agrade. Escolher um bom preparatório que passe confiança e tenha um programa de estudos objetivo pode ser uma forma de escolher a disciplina. A orientação de bons professores é parte essencial da aprovação de cada aluno. Sendo assim, encontrar um bom preparatório, que você se identifique com o professor e com a didática ajuda e muito na escolha da disciplina.

Por fim, para ajudar mais um pouco na sua escolha chamamos os professores do CEISC para nos dizer os pontos positivos de algumas disciplinas:

  • Prof. Guilherme Pedrozo da Silva – Direito  e Processo Tributário: Prestar a 2ª Fase da Prova da OAB em Direito Tributário proporciona ao candidato a certeza da realização de uma prova lógica e acessível, baseada em fatos práticos e principalmente em recentes julgados dos Tribunais Superiores. Ademais o domínio pelo candidato do direito material necessário para a confecção da prova é menos vultuoso e apresenta lições praticamente exatas, facilitando assim o encontro das teses e respostas. Conteúdo já cobrado na prova limita-se basicamente: Constituição Federal (art. 145 até 162), Código Tributário Nacional, Código de Processo Civil e Súmulas.  Fácil e rápida identificação de peças, com estratégias simples de elaboração e análise. Provas bem elaboradas, consubstanciadas em enunciados simples e vinculados estritamente ao texto legal.
  • Prof. Nidal Ahmad – Direito e Processo Penal: Penal é a área mais procurada pelos candidatos da 2ª Fase do Exame de Ordem. Podemos salientar como pontos positivos, peças facilmente identificáveis e enunciados bem elaborados. Além disso, as teses de mérito são bem delimitadas, normalmente giram em torno de excludentes de tipicidade, ilicitude e culpabilidade, autoria e materialidade. Escolher penal para 2ª Fase do Exame de Ordem é optar por uma matéria clara e bem delimitada, com temas objetivamente abordados pela banca examinadora.
  • Profª. Cleize Kohls e Prof. Luiz Henrique – Processo do Trabalho e Direito do Trabalho: Trabalho tem ganhado cada vez mais candidatos da 2ª Fase do Exame da Ordem, principalmente pelo pequeno número de peças que são cobradas na prova e pelo fato que todos os assuntos cobrados estão pacificados nas Orientações Jurisprudenciais e Súmulas do TST.  Alguns pontos positivos de escolher Trabalho podem ser identificados em: a) poucas peças cobradas pela banca – costumam cair: contestação, recurso ordinário e reclamatória trabalhista, tendo sido cobradas outras peças e poucas vezes; b) o conteúdo de direito material pode ser assimilado com facilidade, pois é possível relacioná-lo com situações já vivenciadas pelo candidato ou algum conhecido; c) as matérias de direito material e processual são possíveis de serem estudadas no tempo entre a 1ª Fase e a 2ª Fase; d) existem ótimas oportunidades de trabalho para quem se dedica à área trabalhista; e) vai ser uma alegria ter você conosco!
  • Prof. Leonardo Fetter  e Profª. Tatiane Kipper – Processo Civil:  Escolher Civil é optar por uma área comumente bem abordada durante a graduação e presente na vida prática da grande maioria dos examinandos. Se trata de uma preparação não somente para realização do Exame, como também, uma preparação para os assuntos jurídicos mais recorrentes do dia a dia da vida em sociedade. Sem falar é claro no fato de que a preparação se torna também uma atualização jurídica, uma vez que, o examinando tem a oportunidade de revisar as alterações do novo Código de Processo Civil.
  • Prof. Caroline Muller Bitencourt e Prof. Janriê Rodrigues Reck – Direito e Processo Constitucional: A 2ª Fase de Constitucional é a área com maior índice de aprovação do Exame de Ordem. Trata-se de uma área com material conciso e concatenado, o estudo é basicamente fundado na Constituição Federal e aplicação de poucas leis esparsas e entendimentos jurisprudenciais. As peças na 2ª Fase Constitucional são específicas e de fácil identificação, principalmente porque protegem direitos já delimitados na CF/88.
  • Prof. Felipe Dalenogare – Direito Administrativo: Escolher direito administrativo é optar por uma área com uma carga de conteúdo relativamente curto em relação às outras. Trata-se de uma matéria com legislação esparsa bem delimitada e com aplicação específica a cada caso. Além disso, as peças seguem um modelo de elaboração muito parecido o que facilita a estruturação pelo aluno, principalmente, se munido de um estudo sistematizado.
  • Profª. Grace Kellen – Direito Empresarial: São várias as vantagens em escolher Empresarial na segunda fase:  estamos longe de ser a área de conhecimento que a banca se preocupe em quantidade de aprovados, porque ocupamos a menor porcentagem de inscritos. Em termos de peças, a FGV tem optado por iniciais, mas além de iniciais, precisamos conhecer estruturalmente contestações e recursos. Ademais, são de fácil identificação e conteúdo de teses acessíveis, comparando aos outros ramos, também são menores. Além disso, não costuma cair muitas súmulas ou enunciados e nossas respostas, de modo geral, estão na legislação estudada. Tivemos poucas polêmicas no decorrer dos anos e ainda ocupamos um dos menores índices de reprovação e a tendência é continuar assim.

Comments

comments

Responsável pela coordenação dos projetos, cursos preparatórios e eventos relacionados aos cursos de 1ª Fase da OAB do CEISC. Editora e criadora de conteúdo web e inbound marketing.