Melhores áreas do direito para advogar no Brasil: conheça!

Ao entrar na faculdade, a maioria dos futuros bacharéis ainda não sabe em qual áreas do direito advogar. Afinal, essa carreira oferece várias possibilidades para o estudante escolher.

O ideal é aproveitar os cinco anos do curso para tomar essa decisão e desfrutar das oportunidades de estágios que costumam ser oferecidas. Porém, para isso, é preciso conhecer a fundo os campos de atuação.

Pensando nisso, neste texto, vamos apresentar a você algumas das melhores áreas do direito para advogar no Brasil. Continue a leitura e confira!

Recuperação judicial

A atual crise econômica enfrentada pelo país fez com que aumentasse o número de processos de recuperação judicial e de crédito, o que estimulou a procura por advogados especializados nessa área para ajudar a manter a saúde financeira das empresas — as quais, em alguns casos, chegam a criar setores internos responsáveis por isso.

Para se destacar no mercado, esse profissional precisa ter um perfil conciliador e de bom negociador. Ele deve, também, ser capaz de conseguir os melhores acordos para tirar a empresa do endividamento crítico, negociando suas dívidas e créditos.

Compliance

Impulsionado pela Operação Lava Jato e pela Nova Lei Anticorrupção, o compliance ainda não é estudado nas faculdades, mas já conta com algumas opções de pós-graduação sobre o tema.

O advogado que atuar nessa área deverá orientar a administração da empresa para que siga a legislação vigente em seus regulamentos, evitando que o negócio se envolva em escândalos legais e protegendo-o de possíveis sanções. Para isso, ter experiência prévia em auditoria é um diferencial para o especialista.

Direito Tributário

Outra área interessante é a do Direito Tributário. Ela oferece grande demanda, uma vez que as empresas têm necessidade de um bom planejamento para não sofrerem prejuízos financeiros.

O profissional tributarista pode trabalhar para pessoa física ou jurídica, oferecendo consultoria, planejamento e implementação de projetos fiscais. Além disso, este profissional é responsável pelas obrigações tributárias e defender o contribuinte no recolhimento dos impostos.

Para isso, o advogado precisa ter domínio dos princípios e das normas acerca da arrecadação de tributos, além de conhecer as atribuições dos órgãos de fiscalização.

Direito Civil

A área do Direito Civil é tão ampla que oferece uma série de opções de especializações, como Direito da Família, de bens e, até mesmo, de pessoas.

O foco desse profissional — que poderá trabalhar na área judicial ou arbitral — será representar os interesses do cliente em relação às propriedades, às obrigações e às sucessões.

Assim como a Recuperação Judicial, o Direito Civil também conquistou um crescimento em seus números a partir de 2018, com a crise econômica. Isso porque aumentaram os conflitos e — por consequência — os processos judiciários na área civil.

Conclusão

Como vimos, há várias áreas de atuação na carreira de Direito. Para escolher a melhor opção, é preciso aproveitar a duração do curso para conhecer a fundo cada uma, realizar estágios — se possível — e conversar com outros profissionais atuantes. Dessa forma, você poderá saber qual se encaixa melhor no seu perfil de estudante e futuro advogado.

Gostou deste post sobre as áreas do Direito? Então, aproveite para assinar a nossa newsletter. Assim, você poderá receber outros conteúdos como este diretamente em seu e-mail!

Vale a pena optar por uma pós-graduação a distância?

Você tem pensado em cursar uma pós-graduação e já se perguntou se vale a pena investir em um curso na modalidade EAD?

Pensando nisto, elencamos algumas vantagens que o estudo a distância proporciona. Confira:

Qualidade dos cursos presenciais

Optando por um curso na modalidade EAD, você irá usufruir da mesma qualidade dos alunos presenciais: quando uma pós-graduação é transmitida ao vivo, o aluno sente que está dentro da sala de aula, já que resta possibilitada a interação com o professor, como se estivesse presente fisicamente.

Flexibilidade de horário

Ainda, você terá flexibilidade de horário, podendo assistir às aulas no turno em que preferir e terá a facilidade de poder fazer as avaliações sem ter que sair de casa!

Economia

Essa modalidade é mais econômica, tendo um ótimo custo-benefício, já que você usufrui da mesma qualidade das aulas presenciais.

 Mesmo certificado dos alunos presenciais

Não há diferença do certificado fornecido para a especialização lato sensu presencial. Ou seja, independente da modalidade, o certificado de especialista será o mesmo.

Apoio especializado/Tutoria virtual especializada

Ademais, você contará com tutoria virtual especializada para tirar suas dúvidas com a equipe de apoio ao aluno.

 Não há limite de visualizações

Somado a isto, você terá melhor fixação do conteúdo, tendo em vista que pode assistir às aulas quantas vezes quiser.

Em suma, a pós-graduação na modalidade EAD encurta a distância entre você e o ensino de qualidade!

No mais, lembre-se que o sucesso da sua pós-graduação depende da sua disciplina para assistir às aulas. Se você tiver o comprometimento necessário, o sucesso do seu estudo será atingido.

Portanto, busque uma pós-graduação de qualidade e tenha determinação para extrair o máximo de conteúdo no conforto da sua casa!

Conte conosco nesta jornada! Quer saber mais? Confira nossos cursos clicando aqui.

É possível conciliar a pós-graduação com o estudo para concursos públicos?

Hoje a nossa conversa é direcionada aos concurseiros de plantão!

Muitos de vocês já devem ter se questionado se vale a pena cursar uma pós-graduação, conciliando a especialização com os estudos para concursos públicos.

Para responder a esta pergunta, vamos utilizar como exemplo a pós-graduação em Direito Processual Público: este curso abrange diferentes áreas do conhecimento, quais sejam, Direito Tributário, Constitucional, Administrativo e Previdenciário.

Ademais, contempla um bloco de aulas focadas em corrupção e atualidades do Direito Administrativo, conteúdo em alta no cenário político brasileiro, o que possui maior tendência a ser exigido em provas.

E por que cursar essa pós pode ser vantajoso para os concurseiros?

A pós em Direito Processual Público contempla duas disciplinas que são frequentemente (para não dizer sempre) cobradas em concursos públicos: Direito Administrativo e Direito Constitucional, sendo ambas requisito obrigatório de estudo. Ademais, quando o concurseiro não sabe por onde começar a estudar, a dica de sempre é que inicie por Administrativo e Constitucional, pois elas são cobradas em qualquer concurso, devendo perfazer a base de estudo.

Em Direito Constitucional, disciplinas como princípios, teoria geral, controle de constitucionalidade e remédios constitucionais serão estudados de forma aprofundada, lembrando que estes são temas recorrentes em questões de certames públicos.

Da mesma forma, no módulo de Direito Administrativo, você terá disciplinas como poder de política, contratações, licitações (assunto queridinho das bancas), agentes públicos e responsabilidade civil na Administração Pública.

Além do mais, concursos da área fiscal obrigatoriamente exigem Direito Tributário em seus editais, módulo este também contemplado em nosso curso de pós, adentrando em matérias específicas como tributos em espécie, processo tributário e formalização da obrigação tributária.

Outro grande concurso previsto para breve é o do INSS. Neste aspecto, cabe ressaltar que o nosso curso também contempla Direito Previdenciário, estudando princípios e direito material – matérias indispensáveis nos seus estudos.

Adicionado a isto, e tão importante quanto, é que uma pós-graduação vale pontos nas provas de títulos dos concursos, o que melhora a sua classificação, deixando você à frente daqueles candidatos que possuem apenas graduação. Desta forma, é possível afirmar que um curso de pós é uma vantagem em concursos públicos sim!

Por fim, fazer uma especialização é uma forma menos estressante de fixar o conteúdo, pois o estudo não é focado na memorização – a famosa “decoreba” -, possibilitando que você relaxe, dentro do possível, mas que permaneça estudando com um viés mais crítico, mais questionador, e por consequência, sem tanta pressão. O mesmo vale para demais áreas: Direito Penal, Direito Civil e etc.!

Ficou interessado em nossa pós? Confira aqui neste link esta e outras opções de cursos!

Você sabe qual o momento certo para cursar uma pós-graduação?

Entendemos que esta resposta seja bem pessoal… porém, podemos ajudá-lo a refletir sobre esta escolha, demonstrando os prováveis impactos que um curso de pós-graduação terá em sua carreira, de acordo com o momento profissional em que você se encontra. Então vamos lá, em qual desses momentos da carreira você está?

Se você é bacharel e trabalha em uma empresa privada ou em alguma entidade da administração indireta:

A pós-graduação, ao aprofundar os conteúdos ministrados na graduação, possibilita que o funcionário amplie seu conhecimento técnico acerca da área escolhida. Por exemplo, se você trabalha em autarquias, empresas públicas, fundações, e etc., cursar uma pós-graduação em Direito Público permite o aprofundamento dos temas recorrentes do dia-a-dia, como Direito Administrativo e Tributário.

Se você é advogado associado:

A pós-graduação se torna um diferencial em sua atuação, possibilitando o crescimento na carreira dentro do escritório em que você atua, já que você se tornará especialista na área do Direito escolhida.

Se você possui o próprio escritório de advocacia:

Ser especialista é considerado uma forma de atrair novos clientes. Ademais, manter-se atualizado em sua área de atuação é fundamental para exercer a advocacia com qualidade. Além disso, um curso de pós auxilia na iniciação da sua carreira quando, por exemplo, você cursa uma pós em Direito e Processo Civil que o ensine a elaborar peças processuais, preparando você para o atendimento das mais diversas demandas.

Se você é concursado:

como todos já sabem, um curso de pós-graduação possibilita, em regra, um aumento salarial e inclusive, por vezes, a progressão de carreira.

Se você é concurseiro:

A pós-graduação, ao aprofundar o assunto na área escolhida, auxilia na preparação para seu concurso. Por exemplo, se você optou por prestar concursos na área policial, a pós-graduação em Direito Penal e Processual Penal amplia o seu conhecimento na área, e consequentemente torna mais fácil a resolução de questões dos conteúdos relacionados. Ademais, o curso de especialização proporciona pontuação para você na prova de títulos, melhorando sua classificação!

Em suma: cursar uma pós-graduação de qualidade encurta o seu caminho para o sucesso, independente do caminho profissional que tenha optado! Conte conosco! Conheça mais sobre os cursos de pós-graduação do CEISC clicando aqui.

Fiz a prova da OAB, e agora? Qual o primeiro passo para investir na minha carreira?

Passada a intensa preparação para a prova da OAB, chega o momento de pensar na sua carreira e de se questionar, qual o primeiro passo para atingir suas metas e sonhos profissionais? Hoje em dia, considerando a demanda do mercado de trabalho, ter um diploma de graduação é importante, porém, não basta para caracterizar um diferencial.

Para isso, devem ser aliados às capacidades do candidato, cursos de extensão, aperfeiçoamentos e até mesmo uma pós-graduação, que garante aprofundamento do tema escolhido, aperfeiçoamento da teoria e a possibilidade de ampliação do estudo por meio de casos práticos.

Pós-graduação, Lato ou Stricto?

Primeiramente, é importante esclarecer que existem dois tipos de pós-graduação e também as diferenças entre estas duas modalidades, que são Lato sensu e Stricto sensu.

A pós-graduação Lato Sensu compreende as especializações e o MBA, que são voltados para a prática e o mercado de trabalho, focados em quem busca se aperfeiçoar em uma área específica de atuação. Já a pós-graduação Stricto Sensu compreende os programas de mestrado e doutorado, sendo voltadas para a área acadêmica e para a carreira de docente, ou seja, para quem deseja se tornar professor universitário ou pesquisador.

O primeiro passo para o crescimento profissional

O foco de um curso de pós-graduação Lato Sensu (mais conhecido como Especialização) são os casos práticos, isto é, os problemas e as demandas que se apresentam no cotidiano da vida de um advogado, de um concursado, de um bacharel… Por vezes, esse viés empírico não é muito abordado na graduação, a qual possui um caráter mais teórico, em regra.

Ademais, os cursos de graduação em Direito são muito abrangentes, pois abordam praticamente todas as áreas possíveis de atuação jurídica. Portanto, aprofundar o conteúdo é essencial para compreender tecnicamente as demandas provenientes de uma área específica, da forma complexa que se apresenta no dia-a-dia.

Um curso de pós-graduação, assim como proporciona o desenvolvimento da carreira, também possibilita a mudança de área, sendo o primeiro passo para quem deseja seguir outro caminho. Por exemplo, se você durante a faculdade, não teve oportunidade em atuar na área jurídica e agora, bacharel, está procurando se inserir neste contexto, realizar um curso de pós-graduação na área desejada é o primeiro impulso para concretização do seu objetivo.

Qual área escolher?

A escolha da área de especialização é o passo mais fácil, basta seguir o caminho daquilo que lhe traz o retorno desejado, seja pessoal, profissional ou financeiro. Porém, escolher o curso de pós-graduação certo para isso pode não ser uma tarefa tão fácil.

O mercado oferece diversas opções de pós-graduação, porém muitas vezes elas não irão se encaixar exatamente no ramo de atuação que você deseja, portanto, cabe a realização de uma pesquisa e também da busca por informações junto às instituições, pelos módulos que a pós-graduação oferece.

Um exemplo prático disso é a pós-graduação em Direito Público, oferecida pelo CEISC em parceria com a Universidade de Santa Cruz do Sul – UNISC, que, dentro de sua grade, possui os módulos de Direito Tributário, Previdenciário, Constitucional e Administrativo, o que dá ao aluno a chance de se aprimorar na área de seu interesse, dentro de uma pós-graduação mais abrangente.

Apesar disso, não são todas as pós-graduações que oferecem cursos tão abrangentes. O modelo disso é a pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal que também faz parte da parceria CEISC/UNISC: nela, o foco é todo na área criminal, com três módulos, o primeiro em Processo Penal, seguido do módulo em Direito Penal e Crimes em Espécie e por fim o módulo em Execução Penal, Leis Especiais e Temas Contemporâneos de Direito Penal e Processo Penal.

Já para aqueles que tiveram a oportunidade de realizar um estágio durante seu período de graduação nas áreas jurídicas, podem seguir suas carreiras em áreas como a cível, aproveitando a oportunidade que já tiveram para dar sequência aos estudos com uma pós-graduação em Direito Civil.

No mercado de trabalho, as qualificações profissionais ganham enfoque e portanto, um currículo que possua um curso de pós-graduação se torna mais competitivo e atrativo, bem como propicia mair empregabilidade, pois gera a sensação para o recrutador de que aquele candidato tem um conhecimento consolidado em uma área específica.

Em suma, cursar uma pós-graduação de qualidade, encurta o caminho para uma carreira de sucesso!

Se você tem interesse em se especializar, não deixe de conhecer nossos cursos de pós-graduação, clique aqui!

Aprenda a escolher o Vade Mecum ideal para as suas necessidades

Para os advogados, em especial aqueles recém-formados, existe um livro de suma importância: o Vade Mecum. E ele é fundamental não só para o exercício profissional, mas também para quem deseja passar nas provas da OAB. Então fica a pergunta: qual o melhor Vade Mecum?

Trazemos essa reflexão, pois não se trata de um livro único com esse título. “Vade Mecum” é uma expressão latina (e expressões latinas é o que não falta em Direito) cujo sentido é “Vai Comigo”.

Trata-se, portanto, de um manual de ciências jurídicas que serve para se consultar na hora de resolver questões relacionadas ao direito e a lei. Além disso, é uma fonte de estudo prática e resumida para quem vai fazer provas da OAB e outros concursos na área de Direito.

Saiba que existem muitos exemplares de Vade Mecum. Então, na hora de decidir qual será o seu, é importante considerar alguns pontos para acertar nessa escolha. E é disso que trataremos neste post! Quer saber como fazer a melhor escolha? Confira as nossas dicas abaixo.

O mais barato pode não ser o melhor!

A nossa primeira dica sobre qual o melhor Vade Mecum que deve ser escolhido é que você entenda que, assim como outros bens materiais, o mais barato pode não ser o melhor. Junto a isso, é importante que você adquira um manual de boa qualidade.

Por isso, nem sempre o preço mais baixo deverá ser o critério de compra. Devido a importância dessa ferramenta, o indicado é que você não seja muito econômico nesse caso — afinal de contas, se você pagar caro pelo Vade Mecum, mas tiver acesso aos principais conteúdos e conseguir passar no exame da OAB ou em algum concurso muito disputado, certamente sairá lucrando!

Então tenha em mente que, quando se trata de adquirir um Vade Mecum, nem sempre o pensamento de economizar poder ser a melhor decisão.

A importância de um material atualizado

A legislação brasileira sofre mudanças constantes. São diferentes áreas que recebem ajustes e assim surgem novas normas, regulamentos, decretos-lei e assim por diante. Por isso, é importante comprar um manual atualizado.

Então se você constatar qualquer sinal de desatualização de um Vade Mecum, é melhor não comprar. A nossa sugestão é que você priorize a compra de manuais publicados a partir de 2018.

Claro que nada impede que você adquira um livro mais antigo, mas é preciso estar ciente dos riscos que corre ao realizar a compra, sabendo que qualquer consulta realizada pode não trazer necessariamente a informação mais atual.

A melhor recomendação é adquirir o material mais atualizado, que contempla as últimas mudanças e garante que o estudante não vai cometer erros devido a informações ultrapassadas.

É importante lembrar que, desde 2014, surgiram o Novo Código do Processo Civil e a Reforma Trabalhista. Portanto, usar um material de 2013, por exemplo, significa ficar especialmente desatualizado sobre esses temas, algo que pode prejudicar na preparação para o exame da OAB.

As diferenças entre o compacto e o completo

Outro ponto interessante é saber das diferenças entre o manual completo e o compacto, pois algumas pessoas não recomendam a compra de um manual compacto, preferindo sempre o completo.

No caso de comprar o material para estudar para provas, talvez seja mais recomendável comprar mesmo o completo e reduzir os riscos de faltar conteúdo para o estudo. Uma dica para decidir entre comprar o compacto ou o completo é levar em consideração pontos como referências e índices remissivos.

As editoras costumam lançar seus manuais sempre “referenciados”, logo, uma olhada nas referências pode ajudar a escolher aquele que está mais bem embasado em fontes confiáveis.

Os índices remissivos geralmente são similares entre os dois tipos, de modo que é importante avaliar as palavras-chaves mais intuitivas e reveladoras.

Observe ainda a Legislação Complementar, a seleção que o organizador do conteúdo considerou como importante para ser colocada no livro. O Vade Mecum compacto costuma apresentar menos Legislações Complementares. Tome cuidado para não deixar esse detalhe passar.

Experiência de uso

Saber qual o melhor Vade Mecum nem sempre é uma questão em que há uma mesma resposta para todas as pessoas. Por isso, é importante levar em consideração alguns aspectos, dentre eles, a experiência de uso com o manual.

Se você já utilizou algum modelo ou tipo de Vade Mecum, se deu bem com ele e sentiu que sabe manuseá-lo, ou seja, já se sente à vontade, saiba que essa pode ser uma boa escolha para comprar.

Escolha de acordo com os objetivos

Outro ponto importante é escolher de acordo com os seus objetivos, visto que existe uma variedade de Vade Mecum e nenhum é melhor do que o outro, mas atendem a objetivos e propósitos diferentes.

Se você está estudando para a primeira fase da OAB, talvez o manual tradicional seja o mais completo e possa suprir as suas necessidades. Se você quer usá-lo apenas para consultas rápidas, talvez o compacto seja a melhor solução e, inclusive, é ideal para carregar consigo sempre.

Há também alguns manuais temáticas que podem ajudar na segunda fase do exame da OAB, por exemplo.

Não ignorar o projeto gráfico do Vade Mecum

Saiba que os manuais foram planejados com base em gráficos que ajudam a facilitar a pesquisa, agilizar os estudos e o trabalho. Então, para que o manual possa lhe ajudar, confira se ele conta com os seguintes requisitos gráficos:

  • conjunto de cores que auxiliam a distinguir os institutos no manual;
  • índices e indicadores que ajudam a consultar as matérias;
  • notas remissivas que ajudam a vincular as matérias com os documentos normativos;
  • dados no topo da página que ajudam a entender o que está sendo buscado.

Considere também o tamanho do Vade Mecum.

Os manuais Vade Mecum podem ser encontrados em uma certa variedade de peso e tamanho, podendo variar de 1,5 kg a mais de 2 kg. Então, além de levar em conta as necessidades de estudo e consulta, é preciso adicionar o quesito conforto.

Afinal, pode ser que não seja muito saudável carregar mais de 2kg na mochila, por outro lado, se você mantiver o manual em casa, talvez isso não seja o problema. Tenha em mente que as versões tradicionais são mais completas e, por isso, mais pesadas.

A finalidade do Vade Mecum

Por fim, trazemos aqui uma dica relacionada ao objetivo ou finalidade de usar o Vade Mecum. Se a finalidade da compra é estudar para passar na OAB, prefira os manuais específicos para isso, como “Vade Mecum para OAB” (ou para OAB e Concursos).

Se o foco for uma carreira específica ou o trabalho, também existem manuais destinados a esse objetivo, como os de jurisprudência, os de magistratura ou os policiais. Sobre os manuais completos, a Legislação Complementar tende a pender para uma área específica, como cível, penal ou trabalhista — aí dependerá da área em que o profissional atua ou da disciplina que mais pesará para fazer as provas.

Agora que você já sabe qual o melhor Vade Mecum a ser escolhido, sugerimos que conheça os nossos exemplares: Civil e Empresarial, Direito Administrativo, Direito TrabalhistaDireito Tributário, Direito Penal, além do Vade Mecum geral.

Gostou do post? Conheça, então, o que é permitido na marcação de Vade Mecum na segunda fase da OAB