Aprenda a escolher o Vade Mecum ideal para as suas necessidades

Para os advogados, em especial aqueles recém-formados, existe um livro de suma importância: o Vade Mecum. E ele é fundamental não só para o exercício profissional, mas também para quem deseja passar nas provas da OAB. Então fica a pergunta: qual o melhor Vade Mecum?

Trazemos essa reflexão, pois não se trata de um livro único com esse título. “Vade Mecum” é uma expressão latina (e expressões latinas é o que não falta em Direito) cujo sentido é “Vai Comigo”.

Trata-se, portanto, de um manual de ciências jurídicas que serve para se consultar na hora de resolver questões relacionadas ao direito e a lei. Além disso, é uma fonte de estudo prática e resumida para quem vai fazer provas da OAB e outros concursos na área de Direito.

Saiba que existem muitos exemplares de Vade Mecum. Então, na hora de decidir qual será o seu, é importante considerar alguns pontos para acertar nessa escolha. E é disso que trataremos neste post! Quer saber como fazer a melhor escolha? Confira as nossas dicas abaixo.

O mais barato pode não ser o melhor!

A nossa primeira dica sobre qual o melhor Vade Mecum que deve ser escolhido é que você entenda que, assim como outros bens materiais, o mais barato pode não ser o melhor. Junto a isso, é importante que você adquira um manual de boa qualidade.

Por isso, nem sempre o preço mais baixo deverá ser o critério de compra. Devido a importância dessa ferramenta, o indicado é que você não seja muito econômico nesse caso — afinal de contas, se você pagar caro pelo Vade Mecum, mas tiver acesso aos principais conteúdos e conseguir passar no exame da OAB ou em algum concurso muito disputado, certamente sairá lucrando!

Então tenha em mente que, quando se trata de adquirir um Vade Mecum, nem sempre o pensamento de economizar poder ser a melhor decisão.

A importância de um material atualizado

A legislação brasileira sofre mudanças constantes. São diferentes áreas que recebem ajustes e assim surgem novas normas, regulamentos, decretos-lei e assim por diante. Por isso, é importante comprar um manual atualizado.

Então se você constatar qualquer sinal de desatualização de um Vade Mecum, é melhor não comprar. A nossa sugestão é que você priorize a compra de manuais publicados a partir de 2018.

Claro que nada impede que você adquira um livro mais antigo, mas é preciso estar ciente dos riscos que corre ao realizar a compra, sabendo que qualquer consulta realizada pode não trazer necessariamente a informação mais atual.

A melhor recomendação é adquirir o material mais atualizado, que contempla as últimas mudanças e garante que o estudante não vai cometer erros devido a informações ultrapassadas.

É importante lembrar que, desde 2014, surgiram o Novo Código do Processo Civil e a Reforma Trabalhista. Portanto, usar um material de 2013, por exemplo, significa ficar especialmente desatualizado sobre esses temas, algo que pode prejudicar na preparação para o exame da OAB.

As diferenças entre o compacto e o completo

Outro ponto interessante é saber das diferenças entre o manual completo e o compacto, pois algumas pessoas não recomendam a compra de um manual compacto, preferindo sempre o completo.

No caso de comprar o material para estudar para provas, talvez seja mais recomendável comprar mesmo o completo e reduzir os riscos de faltar conteúdo para o estudo. Uma dica para decidir entre comprar o compacto ou o completo é levar em consideração pontos como referências e índices remissivos.

As editoras costumam lançar seus manuais sempre “referenciados”, logo, uma olhada nas referências pode ajudar a escolher aquele que está mais bem embasado em fontes confiáveis.

Os índices remissivos geralmente são similares entre os dois tipos, de modo que é importante avaliar as palavras-chaves mais intuitivas e reveladoras.

Observe ainda a Legislação Complementar, a seleção que o organizador do conteúdo considerou como importante para ser colocada no livro. O Vade Mecum compacto costuma apresentar menos Legislações Complementares. Tome cuidado para não deixar esse detalhe passar.

Experiência de uso

Saber qual o melhor Vade Mecum nem sempre é uma questão em que há uma mesma resposta para todas as pessoas. Por isso, é importante levar em consideração alguns aspectos, dentre eles, a experiência de uso com o manual.

Se você já utilizou algum modelo ou tipo de Vade Mecum, se deu bem com ele e sentiu que sabe manuseá-lo, ou seja, já se sente à vontade, saiba que essa pode ser uma boa escolha para comprar.

Escolha de acordo com os objetivos

Outro ponto importante é escolher de acordo com os seus objetivos, visto que existe uma variedade de Vade Mecum e nenhum é melhor do que o outro, mas atendem a objetivos e propósitos diferentes.

Se você está estudando para a primeira fase da OAB, talvez o manual tradicional seja o mais completo e possa suprir as suas necessidades. Se você quer usá-lo apenas para consultas rápidas, talvez o compacto seja a melhor solução e, inclusive, é ideal para carregar consigo sempre.

Há também alguns manuais temáticas que podem ajudar na segunda fase do exame da OAB, por exemplo.

Não ignorar o projeto gráfico do Vade Mecum

Saiba que os manuais foram planejados com base em gráficos que ajudam a facilitar a pesquisa, agilizar os estudos e o trabalho. Então, para que o manual possa lhe ajudar, confira se ele conta com os seguintes requisitos gráficos:

  • conjunto de cores que auxiliam a distinguir os institutos no manual;
  • índices e indicadores que ajudam a consultar as matérias;
  • notas remissivas que ajudam a vincular as matérias com os documentos normativos;
  • dados no topo da página que ajudam a entender o que está sendo buscado.

Considere também o tamanho do Vade Mecum.

Os manuais Vade Mecum podem ser encontrados em uma certa variedade de peso e tamanho, podendo variar de 1,5 kg a mais de 2 kg. Então, além de levar em conta as necessidades de estudo e consulta, é preciso adicionar o quesito conforto.

Afinal, pode ser que não seja muito saudável carregar mais de 2kg na mochila, por outro lado, se você mantiver o manual em casa, talvez isso não seja o problema. Tenha em mente que as versões tradicionais são mais completas e, por isso, mais pesadas.

A finalidade do Vade Mecum

Por fim, trazemos aqui uma dica relacionada ao objetivo ou finalidade de usar o Vade Mecum. Se a finalidade da compra é estudar para passar na OAB, prefira os manuais específicos para isso, como “Vade Mecum para OAB” (ou para OAB e Concursos).

Se o foco for uma carreira específica ou o trabalho, também existem manuais destinados a esse objetivo, como os de jurisprudência, os de magistratura ou os policiais. Sobre os manuais completos, a Legislação Complementar tende a pender para uma área específica, como cível, penal ou trabalhista — aí dependerá da área em que o profissional atua ou da disciplina que mais pesará para fazer as provas.

Agora que você já sabe qual o melhor Vade Mecum a ser escolhido, sugerimos que conheça os nossos exemplares: Civil e Empresarial, Direito Administrativo, Direito TrabalhistaDireito Tributário, Direito Penal, além do Vade Mecum geral.

Gostou do post? Conheça, então, o que é permitido na marcação de Vade Mecum na segunda fase da OAB

Comments

comments

Equipe de curadoria de conteúdos jurídicos.