Aprenda a escolher o Vade Mecum ideal para as suas necessidades

Para os advogados, em especial aqueles recém-formados, existe um livro de suma importância: o Vade Mecum. E ele é fundamental não só para o exercício profissional, mas também para quem deseja passar nas provas da OAB.

Na verdade, não se trata de um livro único com esse título. “Vade Mecum” é uma expressão latina (e expressões latinas é o que não falta em Direito) cujo sentido é “Vai Comigo”.

Trata-se, portanto, de um manual de ciências jurídicas que serve para se consultar na hora de resolver questões. Uma fonte de estudo prática e resumida para quem vai fazer provas da OAB e concursos na área de Direito.

Existem muitos exemplares de Vade Mecum, então, na hora de decidir o seu, é importante considerar alguns pontos para acertar nessa escolha. E é disso que trataremos neste post! Confira:

O mais barato pode não ser o melhor!

É importante que você adquira um manual de boa qualidade. Por isso, nem sempre o preço mais baixo pode ser o critério de compra. Não seja muito econômico nesse caso — afinal de contas, se você pagar caro pelo Vade Mecum, mas tiver acesso aos principais conteúdos e conseguir passar no exame da OAB ou em algum concurso muito disputado, certamente sairá lucrando!

A importância de um material atualizado

A legislação brasileira sofre mudanças constantes. São diferentes áreas que recebem ajustes e assim surgem novas normas, regulamentos, decretos-lei e assim por diante. Por isso, é importante comprar um manual atualizado. Uma sugestão é: compre os manuais publicados a partir de 2018.

Nada impede que você adquira um livro mais antigo, mas esteja ciente dos riscos que corre. A melhor recomendação é adquirir o material mais atualizado, que contempla as últimas mudanças e garante que o estudante não vai cometer erros devido a informações ultrapassadas.

Lembre-se de que, desde 2014, surgiram o Novo Código do Processo Civil e a Reforma Trabalhista. Portanto, usar um material de 2013, por exemplo, significa ficar especialmente desatualizado sobre esses temas.

As diferenças entre o compacto e o completo

Algumas pessoas não recomendam a compra de um manual compacto, preferindo sempre o completo. E, se for para estudar para provas, talvez seja mais recomendável comprar mesmo o completo e reduzir os riscos.

Para se decidir entre o compacto ou o completo, considere pontos como referências e índices remissivos. As editoras costumam lançar seus manuais sempre “referenciados”, logo, uma olhada nas referências pode ajudar a escolher aquele que está mais bem embasado em fontes confiáveis.

Os índices remissivos geralmente são similares entre os dois tipos, de modo que é importante avaliar as palavras-chaves mais intuitivas e reveladoras. Observe ainda a Legislação Complementar, a seleção que o organizador do conteúdo considerou como importante para ser colocada no livro. O Vade Mecum compacto costuma apresentar menos Legislações Complementares.

A finalidade do Vade Mecum

Se a finalidade da compra é estudar para passar na OAB, prefira os manuais específicos para isso, como “Vade Mecum para OAB” (ou para OAB e Concursos). Se o foco for uma carreira específica ou o trabalho, também existem manuais destinados a esse objetivo, como os de jurisprudência, os de magistratura ou os policiais.

Sobre os manuais completos, a Legislação Complementar tende a pender para uma área específica, como cível, penal ou trabalhista — aí dependerá da área em que o profissional atua ou da disciplina que mais pesará para fazer as provas.

Para ficar sabendo mais sobre Vade Mecum e outros assuntos ligados a concursos e OAB, assine a newsletter!

Comments

comments

Responsável pela coordenação dos projetos, cursos preparatórios e eventos relacionados aos cursos de 1ª Fase da OAB do CEISC. Editora e criadora de conteúdo web e inbound marketing.